Sonho, medo e felicidade

Quem segura o porta-estandarte,
Tem a arte, tem a arte"
(Maracatu atômico; Nação-zumbi)


Vamos viajar. Cada um aqui sabe exatamente a situação que está e provavelmente onde quer chegar. Essa distância é o sonho. E por que, se sabemos o quanto percorrer, julgamos ser tão inalcançavel caminhar daqui para ali? Eu não consigo entender. Inclusive porque também há esse desespero em mim. Escrevi num papel a universidade que quero chegar, prendi com um imã na minha estante a frente dos boletins e relatórios do colégio. Não há uma vez que eu esteja no meu quarto e leia a sigla sem imaginar se consiguirei. Eu tenho medo. É, o que eu tenho é medo. E o medo corrói a ponto de esmagar meu sonho e deixar minha alma gelada. Medo de derrota.
Em minha sala há alunos fantásticos. Tenho medo de quem for o concorrente deles. Poxa, eu queria ser igual, queria fazer igual, ser disciplinado igual, brilhante igual; mas fraquejo. E não vou mentir, ando me esforçando colossalmente para acompanhar o que perdi. No fundo, no fundo sei que não sou só eu que me sinto assim. Todos sonhamos em ser fantásticos, ou você não? É claro que queremos ser bem sucedidos, porque fundamentalmente é esse o prérrequisito de ser feliz.
Felicidade? Ah!, a felicidade! Sonho intimamente é ligado a felicidade. E ao sonhar, estramos em estado de felicidade; e quando passa, resta o vazio porque sabemos que temos que batalhar para conseguir. De novo: Medo. Temos medo de batalhar! Eu também tenho o medo de batalhar. E acho que só meu querer de ser feliz, e ficar só sonhando não vai me deixar enfim o ser. Quem não quer ser feliz? É disso que tenho medo.

Um comentário:

MorDax disse...

felicidade esta mais ligada a auto aceitação do que ao sucesso.


ps: gostei daqui, e vou voltar!

:)