Alforria









E eu era um rei.
Soberania carmim, manto de respeito
Com palácios e cidades e súditos e fim.
Poder grandiosamente limitado
Em passos forçados pelo mundo.
Império irradiava fosse em qualquer canto
Eu possuia prestígio, nobreza; tudo, tudo
Nunca houve dificuldade e nunca fui feliz
Porque tudo foi um era uma vez.

Dia cinza, deixei meu cetro
Sobre o rubro trono dourado.
E parti pelo mundo, diferente.
Silêncio. Sem mais passos reais
Sem pompa e sem falsidade imperiais
Então conheci as pessoas de verdade
Meu reino e reinos e reinos enfim
Conheci sem a ilusão de majestade
Com o coração que sempre mereci

Um comentário:

Bia Maia disse...

Mas você escreve bem demais!!!!!

"Nunca houve dificuldade e nunca fui feliz"...muito profundo e verdadeiro...
"e parti pelo mundo...diferente...e conheci pessoas de verdade"

Só quando nos colocamos de igual para igual, com nossos pés descalços no chão frio...é que seremos verdadeiramente felizes!

Maravilhoso!
Parabéns!

Passo a lhe seguir!


Um beijo com carinho!

Bia