Composição escandalosa

Hoje eu quero construir um poema de podridão.
Eu não quero forma e não quero tom:
Quero contentamento, sangue escorrendo,
Pássaros calados, murro no chão.
Quero palavras forjadas em vento,
Que saim, assim, pesadas, ódio de minha boca
- Meu melhor veneno destilado -
E que depois eu não as mais encontre.
Desejar a derrota para me sentir feliz.
Eu tenho sede, eu tenho choro.
Hoje é meu dia de raiva.
Que minha poesia queime, te dislacere!
Assim como fez ao sair de mim.
E que seja poeticamente perfeita,
Que seja liricamente compreendida.
Porque palavras podem rasgar pessoas.

3 comentários:

Bia Maia disse...

Simplesmente perfeito.Cada palavra sua foi perfeitamente dita e entendida.
Então, calo-me.

um beijo em seu coração...

Bia

Fátima disse...

Transformar o amargo da vida , em doce nas palavras, como fez aqui.

Beles textos, belo espaço

visitando...
Beijos
Fátima

Dias, Anderson disse...

Lindo texto!!!

Gostei deveras como articulou as palavras. Vívido sentimento de ódio que de fato rasga os corações!!

Paz!