Eslovacamente


Ah minha amiga, você vai embora.
E com você, vai também, um pedaço de mim. Por favor, prometa nunca esquecer o que viveu aqui. Tivemos momentos lendários. Eu sei que você aprendeu a ser carnaval, e eu, a ser livre. Eslovacamente, há um lugar seu por aqui. Do riti! É triste saber que um amigo tem de simplesmente ir assim. Quem vai escutar minhas músicas? Eu não quero abrir mão, arde dentro de mim. Enfim, te contei certa vez que no português existe uma palavra única. Absoluta. Que nesse momento cabe perfeitamente.
É a saudade.


Amigo não se faz, reconhece-o.
(Manuel Bandeira)


Para Veronika Debrecèniòva

2 comentários:

Dias, Anderson disse...

Triste meu caro, muito triste de doloroso, mas que os sentimentos construídos nesta amizade sejam vivos para todo sempre!Paz!

Bia Maia disse...

Puxa...que lindo o que escreveu...
triste...mas lindo.

um beijo e PAZ em seu coração,

Bia