Por toda a vida

Conheci uma pessoa, muito simpática inclusive, que resolveu juntar todas as sua mágoas e levantar uma casa. Decorou tudo com todas as mentiras que durante anos a fio lhe contaram, móveis aconchegantes de sua raiva macia e alguns quadros com os sonhos que esqueceu que tinha. Três ou quatro porta-retratos das pessoas essenciais que deixou passar por sua vida e um grande jarro de flores artificiais. Não era uma casa grande, era relativamente modesta, porque não é possível carregar tanta coisa nos braços, embora seja de qualidade. Mas se empenhou muito! Fez com bastante zelo, bem projetada. Afinal, acreditamos que nosso canto é nosso lugar feliz. E por feliz, pintou os cômodos com as ilusões mais coloridas que possuía e plantou, do lado de fora, alguma saudade. Estava feita sua casa e era tudo que tinha. Não tive mais notícias. Pelo que soube viveu, supõe-se que contente, por lá e logo morreu. Surpreendente, não? Não. Como pode ser tão imbecil de viver assim?


# Qualquer semelhança comigo ou com você é mera coincidência. Ou não.

7 comentários:

Fátima disse...

Algo construido em cima de um alicerce desse, desmorona.
Ótimo texto.

Beijo meu

Rodolpho Padovani disse...

Eu que não queria morar em uma casa dessa, que por trás de todo enfeite e requinte, as paredes estão soltas e ruindo a cada dia mais...

Abraços!

Nini C . disse...

nossa gostei, principalmente do final, mais a gente se engana, por vezes...

Carolyne Mota disse...

eu acho que me indentifiquei com o texto, mera coincidência ou não, é parecido comigo. Mas, disso eu estou tentanto tomar providência, reconstruindo aos poucos uma nova casa.
Enfim, o texto é lindo, me fez refletir...

Beijo

Karine Melo disse...

é.. São coisas da vida.


Adorei tuas palavras, Cristiano!

beijos :*

Pontos de Ligação disse...

Gosto muito do assusto tratado neste texto.A gente constrói essas coisas com nossos erros, nossa dores, achamos que assim podemos nos livrar do que a vida ainda tem...
Parece bom, mas não é, assim nos livramos também do bom, dos sorrisos, dos abraços, do amor... "Como pode ser tão imbecil de viver assim?"
Um texto lindo e marcante, adorei!

Letícia

Pontos de Ligação disse...
Este comentário foi removido pelo autor.