Desencontrados


















Foto: © Cesarr Terrio



No final do arco-íris não há um pote de ouro. Pare de procurar. Além de desgastante, está cada vez mais difícil de encontrar arco-íris por aí. Eu tenho algo melhor a te oferecer. Fiz brigadeiro essa tarde e não tem ninguém aqui em casa para comer comigo. Vai ver o brigadeiro está ruim ou eu que não me acostumo nunca a estar sozinho. Passei minha vida inteira basicamente sozinho. Mesmo quando estou em companhia, estou só. Há uma vazio tão vazio, e parece que apenas eu aprendi a sobreviver. Construí muros tão altos que você pode sentir meu movimento, mas não pode ver minha alma. Não tente quebrá-los. Assim como o pote de ouro, você nunca vai conseguir. Mas vamos lá, eu me esforço. Pega a marreta que eu pego o celular. É sempre justo tentar, sim? Mesmo quando a sorte for pequena e mesmo quando estivermos beirando o inútil. Posso te dar todas as coordenadas para você chegar até mim. Não garanto êxito. E cuidado, muito cuidado, há sempre o risco de se perder. Haha!, fui inocente agora. Quem nessa droga de mundo não está perdido? Estamos tão perdidos que o jeito é fazer cabana e fogueira e construir algum muro. Como eu fiz. Perdidos ou desencontrados, fale como preferir. Daqui de minha fortaleza, dá pra ver um arco-íris. Feito raro, mas dá. Vem pra cá que tem brigadeiro, faça-me companhia mesmo que seja perda de tempo. E então podemos decidir quem vai seguir o arco-íris dessa vez. Inclusive sobre a desilusão. Vai ser minha ou sua?



#Para Iwantschuk. Que assim como eu, não sabe onde está.

7 comentários:

Jυℓyαnα ツ disse...

Não posso deixar de dizer: quando fizer brigadeiro pode chamar que eu vou[não resisto a chocolate *------*

Todos, no decorrer da vida, criamos barreiras ao nosso redor, tanto para viver melhor quanto para não sofrer[o que acabam sendo sinônimos =/]
O que diferencia aquele que está sozinho daquele que sempre está sozinho é quem permitiu que fizesse-lhe companhia[e quando].

Quando avistares um arco-íris guarde-o na memória que habita em seu coração assim, independente de onde estiver, quando olhar ele estará lá de novo ^.^




;*

Jéssica Trabuco disse...

As vezes os muros não são fortalezas... na verdade eles estão te prendendo da permissão te se fazer feliz!
Como saberá se há ou não pote de ouro no fim do arco-íris se você nunca foi até lá?

gostei do texto!

*Amanda* disse...

Como sempre digo "Tentar não significa conseguir, mas todos que conseguiram um dia tentaram".
Os muros ao nosso redor nos tornam pessoas mais amargas, pois acreditamos que a felicidades não foi feita para pessoas como nós. Mas de que adianta 'curtir' a tristeza?!
Se não tentarmos "pular o muro", ou até mesmo "sair pela porta da frente" não será possível ver o arco-íris por completo.
Vale a pena tentar, nem que seja por pequenos instantes, ver todas aquelas cores reunidas e experimentar um pouquinho de Felicidade.

bjs*

Rodolpho Padovani disse...

Cara, eu sei bem como é isso, estar preso dentro da própria fortaleza, que apesar de ter coisas boas eu estou só, não por opção alheia, mas pq muitas vezes me fiz só. Eu tento abrir uma brecha nesse muro, tento fazer passagem para que alguém venha me fazer companhia, às vezes consigo, outras eu fracasso... enquanto isso fico vendo aquele arco-íris desbotado, me perguntando sobre o tal pote de ouro.

Abraços!

Malveira disse...

como sempre perigoso, como sempre sensível, como sempre profundo, como sempre muito bom.

Au disse...

Certa vez li uma frase que dizia...: "As pessoas me fazem companhia - quando muito".
E é bem isso mesmo... Agora quanto ao brigadeiro, por favor, avisa! *-*


Abraço!

Pontos de Ligação disse...

Talvez esse tenha sido um de seus textos que mais gostei!
Me vi perfeitamente em cada letra... Principalmente quando você fala dos muros e de como nós estamos perdidos...
Me deixaste sem palavras...
Lindo texto, e... eu bem que gostaria de um pouco do seu brigadeiro...

Letícia