Prece pelo fim do ócio














  Foto: © Cesarr Terrio




Vou virar inimigo do descontentamento. Não quero essa vidinha assim mais ou menos: juro que vou me precaver de todo mau tempo que ouse embaçar os meus sorrisos. Tenho rezado bastante, orações novas, orações lindas e estou começando a compreender que viver nada tem com nossa vaidade. A gente tem mais é que deixar acontecer. Deixar que a alma amanheça com o dia, e que vá ficando sossegada, serena, serena à medida que anoiteça. E que as chuvas de meio-dia encharquem nossas fardas, lavem nossa cara com tamanha boa vontade que pelo resto do dia sintamos a pureza no rosto. E que sorvete possa escorrer por nossas bocas sem constrangimento, e que quando tivermos de falar besteira que seja sempre espontânea. Que possamos virar, sem culpa, o último gole de cada vigésima primeira garrafa sempre que sentirmos vontade. Sem arrependimentos, sem compromissos às sete da manhã. E que a única coisa que a gente não se permita, jamais se permita, seja envelhecer espiritualmente. Isso não! Nossa alma deve ser de criança, de boa-aventurança, de chocolate. O resto a gente vai permitindo, vai mexendo aqui e ali, vai dando uns pulinhos, vai rebolando. Que os amores vão embora, que as palavras vão embora, que o dinheiro vá embora. Mas que nossa fé fique. Inabalável e abrindo cada caminho, alimentando cada sonho, fazendo a gente livre feito passarinho que faz ninho onde a sorte possa. Que haja sempre a sorte. E que sempre haja o discernimento, o bom senso, de que nenhum sacrifício sufoca o quanto viver é bom. A vida não perdoa erros, não, a gente está enganado. Na verdade, ela não costuma se preocupar com eles. É a gente que perde a vida se preocupando. E eu não vou mais ter medo. Não vou. Não vou. Nem medo do medo, nem medo do erro, nem medo do que não. Que a vida aconteça, sempre. Amém.


#Para Tati Cerqueira e para Karina Lima. Que oram também.

4 comentários:

tatiane cerqueira disse...

Sabe quando você lê um texto e fica sem palavras? Sabe aquela sensação de que seu amigo te conhece mais que você mesmo? E sabe também aquele sentimento de gratidão?

TEXTO PERFEITO E ME SINTO MUUUITO MUUUUUITO HONRADA DE SER PARA MIM *-* AMO VOCÊ CRIS, OBRIGADA MESMO (LLLLLLL)

A Escafandrista disse...

a vida é msm desenhar sem borracha. nada melhor do que aceitar os próprios erros e viver a vida que merece ser vivida, sem medo. eu adorei a música nessa versão! bjsss

Camila disse...

Adorei o texto. Sabes lidar muito bem com as palavras. Parabéns por isso. :)

• cynthia bs disse...

Olá Cristiano.
Que bom te encontrar por aqui. Passei no Contos Franqueados, mas parece que o link não gostou de mime não me trouxe até esta Oficina terrosa. Mas após ler o último post do Rodolpho encontrei o link do seu blog (e este com certeza estava a meu favor, rsrs) e consegui chegara até aqui. Admiro muito você por seus contos e sua força de vontade de escrever e mostrar o que sabe. Parabéns!

Te vejo logo menos, agora preciso ir, mas já estou seguindo esta oficina...

beijinhos *