Fosco
























Foto: © Cesarr Terrio



Tenha decência. Se não tem nada de interessante a falar, não estrague esse meu silêncio. Está cada vez mais caro e escasso conseguir boas doses. Se fosse escolha minha, só andaria dopado. Estou cansado como um moribundo, vira e mexe, reclamo da vida. Costume de uma pessoa mal acostumada. Cansado dos sorrisos ensaiados e dos boas-tardes regulados por alarmes. Cansado disso aí tudo, dessa coisa só, que chamamos 'tive um dia bom'. Vamos lá, está em tempo de admitirmos que nossa vida não é lá essa coisa toda. Meio insossa, salobra sem sal. Então, escondemo-nos em roupas, em filmes, num tênis nike colorido gigante ou num pote 1L de sorvete. Eu me escondo em palavras, foi o que melhor achei na vida. Já tentei conjurar o céu, enfeitar meu quarto, plantar girassóis e um amor sem fim. Não deu nada certo. Talvez, seja uma condição humana, nunca dar certo. E outra condição humana seja seguir tentando. Que venha toda sorte de imprevistos, toda sorte de maus momentos, toda sorte de desentendimentos e se ainda sobrar sorte, que venha a glória. Apostamos todos os dias em fichas emocionais altas demais, pensando que a dívida pode ser parcelada. Ah! velha ilusão AmericanExpress. Aqui se faz, aqui se paga. Espero que a hipoteca do meu coração possa pagar. Pois bem, tenho em mãos, agora, papel e caneta. Vou começar com meu confissionário. Mesmo com essa vida pacata, ainda acredito na redenção. Desculpe, Deus, se não fui atencioso o suficiente e por todas as vezes falei o que precisava ser dito descartando qualquer possibilidade de poupar uma batalha. Desculpa por ter rancor e por ainda não ter tirado os pontos de minhas cicatrizes. Desculpe se não fiz caridade suficiente e se falei mal das pessoas, inclusive das que mereceram. Desculpe se amei pouco e se julgo meu estado de felicidade como infeliz. Amém. Não que almeje uma vaga no céu, mas estou circulando o endereço na página de classificados. Seja o que Deus quiser; a Deus dará, a Deus dará. Já te contei que meu esconderijo é a literatura? Provavelmente sim, há em mim o mal gosto de ser repetitivo. Tanto faz, sou metafórico mesmo. Alicercei meu coração em poesia, deboche o quanto quiser. E só mais um conselho: "Quem ri por último, é retardado." Boa sorte com sua vida, amores e desgraças a parte. E pare com os jogos de azar, principalmente nos que você aposta sua alma.Só tenho isso a dizer, e julgo ser interessante. Tenho mais uma dose aqui de silêncio, tão funcional quanto um estado de inércia. Injetado, fumado ou cheirado? Vou ficar calado. Fique à vontade, faça o que quiser.

10 comentários:

✿Tammy disse...

Você escreve tão bem.!Consegue a proeza de unir um desabafo com tantas coisas ao mesmo tempo e não se perder.Podes levar meu selo Oficial.
Bom dia querido,
Jesus Te ama além de Tudo!

Camila disse...

"Eu me escondo em palavras, foi o que de melhos achei em minha vida".
Me encontrei nessa frase. Texto perfeito, ótimo blog. Parabéns

Solange disse...

que desabafo...

... é que dentro da gente nunca é silêncio...

beijo e parabéns super Cristiano...
você é demais !

Jυℓyαnα ツ disse...

Ainda estou procurando a minha dose nesse mundo que não para e que está colorido demais.
Saudades do tempo em que tudo que se podia ouvir eram as gotas de chuva caindo em nosso telhado e essa era, aos nossos ouvidos, como um canto de anjos e por mais longe que olhassemos viamos sim as cores mais viamos também a falta delas o que nos fazia valoriza-las muito mais.




;*

A Escafandrista disse...

Oi, Cris, tua escrita parece cada dia mais realista, isso é bom, as pessoas identificam-se facilmente com o nosso texto. Eu prezo nas minhas palavras por algo mais romântico (como diria Freud, a verdade aparece sempre, mesmo na mentira). E este é o nosso final de semana produtivo! rsrsrs adoro ter vc lá no blog, viu, baby? bjão.

MorDax disse...

em uma palavra?
AMEI.

faça um favor a humanidade e escreva um livro! queria guardar o seu blog no meu bolso, pra poder ler o tempo todo.

abração.

Rodolpho Padovani disse...

As vezes o silêncio tem algo a nos dizer, mas somente os ouvidos mais atentos conseguem ouvir.
Mais um belo desabafo com doses certas de emoção e isso é o que causa tanta empatia por aqui.

Abraços!

Carolyne Mota disse...

Lindo texto, amei a descrição e o realismo. Muito bem elaborado.

Abraços!

Pontos de Ligação disse...

Acho que já deu pra perceber que meu esconderijo também é a liiteratura...
A vida de tods nós tem lá suas desgraças e suas grandes glórias, precisamos de válvulas de escape, para não explodirmos no meio do caminho...
Afinal, o que mais nos resta fazer?
Em seu ultimo comentário você me pediu pra te ensinar a escrever com eu... Acho que eu quem deveria te pedir isso! A exemplo desse texto, tão, lindo, realista, subjetivo, expressivo...

Letícia
ps: Você é uma das minha maiores inspirações.

Nini C . disse...

Muit bom Cristiano, me identifiquei mto com o texto...
Adorando as tuas fotos tbm ;)